O meu Blog

O Blog "Verba Volant, Scripta Manent" foi criado no âmbito de um exercício académico (Humanística Digital). Desde então, e por forma a dar alguma continuidade à experiência iniciada na blogosfera, mantém o objectivo de partilhar alguns textos pessoais (sob o habitual pseudónimo Troyka Manuel), bem como outros materiais literários de interesse pessoal.

Todos os comentários, sugestões ou críticas serão sempre bem-vindos!

Porque as palavras faladas voam... e a palavra poética, tantas vezes, fala por si... e permanece... sempre!

sábado, 5 de outubro de 2013

[Éramos sangue em silêncio]

Éramos sangue em silêncio.
(Mudo sangue!)
Corria nas veias a densidade de sermos juntos,
a meia lua, o sol alto, a estrela cadente
- paridos de um coração qualquer,
hesitantes, acomodados, vingados.

Éramos a mesma água, o mesmo balde
numa terra de ninguém,
sem espinhos e sem traça.

Éramos fúria-tensão-espingarda
sem tiros nem mortes.
Somente mudos (Sempre mudos!),
calados-esquecidos,
desconhecidos de uma vaga-falsa esperança
que nos sorveu as mãos, o sangue e a vida.
(Troyka Manuel)

2 comentários:

  1. Somos o Casamento da Noite com o Sangue
    Meu amor, ao fechar esta porta nocturna
    peço-te, amor, uma viagem por um escuro recinto:
    fecha os teus sonhos, entra com teu céu nos meus olhos,
    estende-te no meu sangue como num largo rio.(...)
    Pablo Neruda, in "Cem Sonetos de Amor"

    ResponderEliminar
  2. Maravilhoso:
    «desconhecidos de uma vaga-falsa esperança
    que nos sorveu as mãos, o sangue e a vida.»
    Imagens poéticas belíssimas. O meu abraço,

    ResponderEliminar